Total de visualizações de página

sábado, 18 de abril de 2009

Certeza???


"De tudo ficaram três coisas:
A certeza de que estamos sempre começando...
A certeza de que é preciso continuar...
A certeza de que seremos interrompidos antes de terminar..."
(Fernando Pessoa)


Guiar meu coração


Eu vivo a vida a vida inteira. A descobrir o que é o amor. Leve pulsar do sol a me queimar. Não penso ter a vida inteira. Para guiar meu coração. Sei que a vida é passageira. E o amor que eu tenho não. Quero ofertar. A minha outra face à dor. Deixa eu sonhar com a tua outra face, amor. [Ângela Rô Rô]

Dedução

Dedução [Maiakovski]

Não acabarão nunca com o amor,
nem as rusgas,
nem a distância.
Está provado,
pensado,
verificado.
Aqui levanto solene
minha estrofe de mil dedos
e faço o juramento:
Amo
firme,
fiel
e verdadeiramente.

Desalento


DESALENTO [Vinicius de Moraes]
Sim, vai e diz
Diz assim
Que eu chorei
Que eu morri
De arrependimento
Que o meu desalento
Já não tem mais fim
Vai e diz
Diz assim
Como sou
Infeliz
No meu descaminho
Diz que estou sozinho
E sem saber de mim
Diz que eu estive por pouco
Diz a ela que estou louco
Pra perdoar
Que seja lá como for
Por amor
Por favor
É pra ela voltar

Sim, vai e diz
Diz assim
Que eu rodei
Que eu bebi
Que eu caí
Que eu não sei
Que eu só sei
Que cansei, enfim
Dos meus desencontros
Corre e diz a ela
Que eu entrego os pontos

Lispector fala por mim


"É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem,
mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer porque no
momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo."
[Clarice Lispector]


Jorge Amado




Dualidade


Somos quem somos?
Esta dualidade que me permeia confunde.
Difunde, margeia, semeia caos, candeia
Sem luz, não conduz, contunde, mareia.

Fomos quem somos?
Tempo, areia me enterra ou aterra,
me apoia ou me prende,
me tolhe ou distende,
me cala ou me berra.

Calor e frio, vazio, completo
carente, repleto, sonhador, concreto.
Dualidade, maldade, fiel sem balança,
andança, estaguinação, mansidão, pujança.

Metade de mim arde, a outra congela.
Metade de mim é vida, a outra mazela.
Metade de mim irrompe, a outra afunda.
Metade de mim é glória, a outra imunda.

Seremos quem fomos?
Somos quem somos?
Dualidade, perversidade ou caridade?
Torvelinho, remanso, ação ou descanso.

Não sei! Se alguém sabe me conte.
Mas conte de manso. 


[Jorge Amado]

As músicas falam por mim


Basta olhar no fundo dos meus olhos. Pra ver que já não sou como era antes. Tudo que eu preciso é de uma chance... De alguns instantes... Sinceramente ainda acredito, Em um destino forte e implacável ... Que tudo que nós temos pra viver, É muito mais do que sonhamos...  Será que é difícil entender, Porque eu ainda insisto em nós? Será que é difícil entender? Vem andar comigo... 
Vem, vem meu amor 
As flores estão no caminho 
Vem meu amor 
Vem andar comigo  
Vem meu amor As flores estão no caminho 
Vem meu amor 
Vem andar comigo