Total de visualizações de página

sábado, 30 de maio de 2009

Clarice, sempre Clarice


Sempre, desde que coloquei meus ávidos olhos no primeiro texto dessa Mulher, sim com esse grande M na frente, admirei e me declarei sua sudita.
Clarice Lispector é perfeita.
Me define em palavras.
Leia isso, ou não.
Na verdade nao postei por ninguem, postei por mim mesma.

_______________________________________________________________________


"Gosto dos venenos mais lentos! Das bebidas mais fortes! Das drogas mais poderosas!
Dos cafés mais amargos! Tenho um apetite voraz. E os delírios mais loucos. Você pode
até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer: E daí? Eu adoro voar!"


"LIBERDADE É POUCO. O QUE EU DESEJO AINDA NÃO TEM NOME."

"Silêncio. Preciso morrer. Já morri algumas vezes, á tempos que não. Às vezes é preciso, é preciso morrer para viver. Ando com saudade de Deus".

" Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil".

"Sou o que quero ser, porque possuo apenas uma vida e nela, só tenho uma chance de fazer o que quero. Tenho felicidade o bastante para fazê-la doce, dificuldades para fazê-la forte, tristeza para fazê-la humana e esperança suficiente para fazê-la feliz. As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas, elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos"

"Sou minha perna, sou meus cabelos, sou o trecho de luz mais branca no reboco da parede - sou cada pedaço infernal de mim - a vida em mim é tão insistente que se me partirem, como uma lagartixa, os pedaços continuarão estremecendo e se mexendo. Sou o silêncio gravado numa parede, e a borboleta mais antiga esvoaça e me defronta: a mesma de sempre. De nascer até morrer é o que eu me chamo de humana, e nunca propriamente morrerei".

"Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa,
ou forte como uma ventania,
depende de quando e como você me vê passar!"


“Um nome para o que eu sou, importa muito pouco. Importa o que eu gostaria de ser. (...)
No entanto, o que terminei sendo, e tão cedo? Terminei sendo uma pessoa que procura o que profundamente se sente e usa a palavra que o exprima.
É pouco, é muito pouco.”


"E se me achar esquisita,
respeite também.
Até eu fui obrigada a me respeitar."

"Quando não escrevo, eu estou morta."

"Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre. Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração. Não me façam ser quem não sou. Não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente. Não sei amar pela metade! Não sei viver de mentira! Não sei voar de pés no chão! Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre."


Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo...

"Sou isso hoje... amanhã já não sei. Reivento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim"

"...há impossibilidade de ser além do que se é -
no entanto eu me ultrapasso mesmo sem o delírio,
sou mais do que eu, quase normalmente -
tenho um corpo e tudo que eu fizer é continuação
de meu começo...
a única verdade é que vivo.
Sinceramente, eu vivo.
Quem sou?
Bem, isso já é demais...



"Quando se ama não é preciso entender o que se passa lá fora, pois tudo passa a acontecer dentro de nós."

Ela acreditava em anjo e, porque acreditava, eles existiam.


MUDE
Mude,
mas comece devagar,
porque a direção é mais importante
que a velocidade.

Sente-se em outra cadeira,
no outro lugar da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair,
Procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho,
ande por outras ruas,
calmamente,...


"Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue; outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho...o de mais nada fazer" (C.L.)



Foi tudo imprevisível,
em um minuto tudo era real, 
em outro não. 
Estou me libertando das amarras, crenças recentes, antigas, infundadas.

O vento que farfalha minha cortina 
é o mesmo que me traz o novo amanhecer.

Menina medrosa
que sorri para o espelho.
Menina guerreira
que sorri pra você.

Nada é como antes,
nem houve antes.
Doces invenções de uma mente poeta.

Esquizofrenia por opção,
para viver,
sentir,
desnecessária e imaculada.

Crescer.
Gostar de mim
e do que vejo naquele espelho que sorri.

Amar essa personalidade sonhadora,
valorizar a sinceridade e carinho natos
dedicação sempre completa aos seres vivos amados.
Até mesmo os defeitos...
Pois essa sou eu
pura e simples,
a menina sincera
a mulher moleca.

Sim, sou eu!